24
Abr
09

Sócrates e o telejornal “travestido” da TVI

Acerca das recentes declarações do PM José Sócrates sobre o telejornal “travestido” da TVI, vamos por partes:

“Acham que aquilo é um telejornal?”

Se a pergunta foi para mim, a resposta é muito simples: Não.  Eu nem estudei Comunicação Social, mas nem é preciso estudar para saber que a trave mestra do jornalismo é a isenção e, de cada vez que termina uma reportagem vídeo, estar a ver e a ouvir uma senhora a proferir expressões do género “é o que se tem visto”, “nós por cá não vimos nada”, “uns chamam educação, eu chamo cobardia”, etc., está logo tudo dito.

O jornalismo é a arte de levar a informação às pessoas e não a arte de “fazer a cabeça às pessoas” – A menos que isto seja a mesma coisa e então aí estão no bom caminho! Vocês brilham!

Quando ligo a televisão para ver um telejornal quero ser informado, não quero ouvir a opinião das pessoas que se aproveitam do tempo de antena que lhes é concedido. Se eu estiver interessado numa opinião vejo ou ouço os programas que servem para isso mesmo, com pessoas que realmente sabem do que falam.

“É um telejornal travestido feito de ódio e perseguição pessoal”

Travesquê? Ahhhhhhhhhhhhhhhhh! Seu maroto! O nosso PM é um máximo, digam lá que não é!

https://i0.wp.com/2.bp.blogspot.com/_7VlqYiYRNwc/R6uUQVlXv3I/AAAAAAAAAlY/yygFdWVlrno/s400/Jos%C3%A9+S%C3%B3crates.jpg

Ódio? Nah…

Perseguição pessoal? Mas estás louco? Até parece que o telejornal da TVI fala de ti todos os dias! Krrr… Krrr…

“Eu não movi processos judiciais contra jornalistas mas sim contra pessoas que me difamaram”

Eu não digo que o nosso PM é maroto? Vejam lá a subtileza do “pessoas” em contraposição com o “jornalistas”! Hein? Aposto que esta argumentação pega em qualquer tribunal…

“A liberdade de imprensa quando é utilizada para injuriar está a difamar essa liberdade.”

“Injuriar”, “difamar”, bla bla bla. O que é isso nesta sociedade, senão os crimes nossos de cada dia? Ao menos a TVI varia, e vai por outros crimes como a “estalada”, a “violência das domésticas”, os “confrontos entre ciganos e africanos”, etc. Temos sempre essas variáveis muito mais atractivas. Ah, e o Freeport – esse caso onde todos são culpados, mas ninguém é acusado. Ou será o contrário? Ou será vice-versa? Bahhhh, desisto, deve ser qualquer coisa muito grave, até porque vem sempre à baila nas eleições. O jornalismo também tem destas coincidências… O telejornal da TVI já nem fala de outra coisa, “jornalismo de investigação” – dizem eles. Eu chamo-lhe outra coisa: “investigação de quintal”! Porque o nosso país é maravilhoso – nem o Ministério Público tem meios para investigar decentemente este tipo de processos, mas uma cadeia televisiva tem!!! Se têm, ponham-na ao serviço da da justiça e não ao serviço da “propaganda”!

Pois, a verdade é que não têm – os tribunais das televisões são realmente muito fáceis. Agora até me lembrei de um programa que dava na SIC que se chamava “O juiz decide” e que terminava com uma senhora que dizia sempre “O juiz decidiu, está decidido”. Epa, era tão fixe, não era?

Já agora, porque é que o site da TVI não “quota” os blogs? Twitter é pra “lames” pah!!!

Anúncios

17 Responses to “Sócrates e o telejornal “travestido” da TVI”


  1. 1 Ricardo
    24 de Abril de 2009 às 16:45

    Podemos não concordar com o que é dito por jornalistas ou comentadores que também gostam muito de falar sobre tudo e mais alguma coisa e não dizem nada de jeito. No entanto vivemos num país que se diz democrático… e se queremos que seja democrático temos de dar liberdade para as pessoas falarem e ouvirem o que querem.

    Assim sendo… penso que a TVI pode ter a informação que quer… as pessoas é que depois têm de decidir se querem ouvir ou não o que eles dizem…

    Eu por mim já decidi à muito tempo que TVI para mim é filmes ( quando não repetidos… o que é difícil ) e séries ( que ultimamente parece que acabaram )… mas cada um vê o que quer…

    • 24 de Abril de 2009 às 18:44

      Obrigado pelo seu comentário.

      Concordo com o que diz, contudo eu não creio que agora a “sociedade democrática” seja pau para toda a obra. Se eles têm o direito democrático de dizerem o que querem e de seguirem um critério jornalístico duvidoso, eu também tenho o direito democrático de denunciar e criticar essas escolhas, muito mais do que um direito de decidir se quero ou não ouvir o que eles dizem.

      Eu já decidi há muito que não estou interessado nas notícias deles e na forma como as apresentam, especialmente às sextas feitas. E tudo porque aquilo me enoja. E verifique que eu nem sou alvo das notícias deles – agora imagine aqueles que o são! Não nos podemos esconder sobre as asas da democracia e da liberdade de expressão para fazer exactamente aquilo que serve os nossos interesses, “travestidos” de jornalistas!!! Essa é que é a verdadeira denúncia que tem que ser feita! Não chega decidir que não vejo o telejornal da TVI, é preciso denunciar! E aí o PM, desculpe a fraqueza, não errou nem um milímetro nas suas considerações.

      É óbvio que o jornalismo incomoda. Deve incomodar. Mas devo-o fazer de uma outra forma, não se servindo do sensacionalismo, mas antes do rigor. Uma notícia escandalosa que seja rigorosa não deve ser criticada, mas antes louvada. Infelizmente o que vemos nos nosso jornalismo, salvo raras excepções, são verdadeiras perseguições de figuras públicas de relevo nos destinos do país, tudo com base em “investigações jornalísticas de quintal”, sem qualquer rigor, sem qualquer isenção… Isso é que é grave – ligar a televisão e, só de ouvir a reportagem, ficar com a sensação que as conclusões, isto é, as ilações, já estavam tiradas antes da investigação.

      Mas respeito a sua opinião, de facto só vê quem quer – é pena não haverem muitas casas com 6 ou 7 tv’s para todos verem exactamente o telejornal que querem.

  2. 3 amadorjp
    24 de Abril de 2009 às 19:34

    Concordo em parte com o que dizes, mas a verdade é que o Sr. Sócrates, nos mente a torto e a direito e que faz uma manipulação política dos órgãos de comunicação exercendo sobre eles pressão para que as notícias não sejam difamatórias dele. No caso da TVI, é verdade que se aproveitaram demasiado do sensacionalismo das notícias, mas no fim de contas apenas informaram sobre aquilo que a nossa justiça se tem esforçado por esconder. Só depois do já famoso DVD inciminatório ter sido divulgado na TVI é que o procurador geral da republica solicitou à polícia inglesa o processo de investigação de lá para juntar ao processo decorrente cá.

    Ou achas que essas notícias são mentira?! A TVI pode ser sensacionalista, mas neste caso informou sobre o que a justiça tenta abafar e isso é prestar um serviço público.

    • 24 de Abril de 2009 às 19:53

      Obrigado pelo comentário.

      Quando fala do Sócrates dessa forma até parece que, desde o 25 de Abril, ele é o único que mente aos portugueses e que manipula a comunicação social.

      Veja as coisas deste modo: A política, acima de tudo, é a arte da obtenção e manutenção do poder. Para o efeito tudo vale. Isto é assim desde que a política existe e Maquiavel limitou-se a abrir os nossos olhos. O Sócrates é apenas um no meio de tantos, o resultado de ele saltar aos nossos olhos é o que a televisão, a rádio e o jornais têm feito com a sua imagem, o que nos demonstra ainda mais claramente os rumos que têm seguido as nossas agências noticiosas.

      Coisa que não fizeram com o Sr. Durão Barroso que pisgou-se, abandonando um cargo para o qual tinha sido democraticamente eleito pelos portugueses. Portugueses, esses, que depositaram nele uma confiança imensa para resolver a crise que já vinha de trás, mas que ficou mais clara com o Governo de Guterres. O Sr. Durão Barroso foi um DESERTOR na mais literal concepção do termo que possa encontrar no dicionário. E contudo, o que fez a nossa comunicação social a respeito disso? Nada! Ainda hoje ele é tido como um herói quando na realidade ele nos deixou isto entregue ao Santana Lopes…

      Acontece que o Sócrates consegue manipular mais do que a própria comunicação social – isso é que os irrita.

      Se pretende falar de um caso em concreto como é esse “famoso DVD incriminatório”, então eu retiro-me da discussão uma vez que não conheço o seu conteúdo mas tão somente o que passou na televisão e, deixei-me que lhe diga, é incriminatório para muito boa gente, mas para o Sócrates não vejo como. Se descobrir um crime que lhe possamos imputar só com aquele dvd, convido-o a dar uma ajuda ao Ministério Público.

      Acha mesmo que o caso Freeport vem à baila na altura das eleições por mera coincidência! Ainda acredita nessas coincidências? Aposto que acredita, até porque acredita piamente num DVD cuja autenticidade e conteúdo não pode conhecer na integra. Isso sim é a capacidade que a televisão tem de nos fazer a cabeça – passamos a acreditar em coisas que não lembra ao diabo, enquanto outras nos passam completamente ao lado.

      E engane-se se pensa que o nosso Procurador Geral da República anda a reboque da TVI. Olhe, vou-lhe dizer isto: há muita coisa na lei, no Ministério Públicos, nos magistrados e respectivos estatutos e modo de investigação que está muito para lá daquilo que a TVI ou nós possamos imaginar.

      Vou contar um segredo: Não basta acusar. É preciso PROVAR! Você sabe o quanto é difícil provar aqueles crimes? Acha que é com uma notícia da TVI que está produzida a prova toda? Acha que as notícias da TVI ajudam a reunir prova, ou a alertar os criminosos para a sua dissipação?

      Diga lá, a sério, de verdade: o que acha de tudo isso? Acha mesmo que a TVI é capaz de meter atrás das grades todos aqueles criminosos que o Ministério Público não consegue? Acha mesmo? É mesmo isso que pensa!?

      Se é, então lamento informar que, de facto, a televisão, a rádio e os jornais “fazem a cabeça às pessoas” a um nível nunca antes visto. Não admira que no tempo das ditaduras, do fascismo e autoritarismo, os líderes utilizassem esses meios para disseminarem a sua propaganda… É que, de facto, resulta.

  3. 5 bruno baleizao
    25 de Abril de 2009 às 00:02

    Embora não possa assegurar o bom carácter do sr. 1º Ministro, a verdade é que concordo inteiramente com a sua posição, talvez sem as palavras algo ofensivas contra a TVI. Aquele telejornal tem marcado a má lingua e crítica ao 1º Ministro e Governo, que terá a sua finalidade e objectivo (posso avançar com uma sugestão, lembram-se da lei anti aglomeração de órgãos de comunicação social, que os grandes jornais vieram logo acusar de ditadura e que por certo não terá agradado à Media Capital, detentora da TVI e muitas mais redes de televisão, rádios e jornais?)?
    De facto, também é bem conhecida a ideologia política da Sra. Manuela Moura Guedes, antiga militante activa do CDS-PP ou do escandâlo envolvendo supostas pressões politicas pelo dr. Pais do Amaral, antigo presidente da Media Capital, sobre o dr. Marcelo de Sousa, que inclusive motivou a sua saída como comentador da TVI?
    Se o sr. Moniz apregoa o bom jornalismo na sua estação, onde está a reportagem sobre o caso, ouvindo o sr. Marcelo?
    Portugueses, não venho dizer para apoiarem o Eng. Sócrates cegamente, peço sim que reflitam sobre o estado do nosso país e votem de acordo com o trabalho que foi feito, o trabalho deixado pelo governo PSD, os candidatos e opções para o país dos outros partidos, e não as guerras e intrigas SEM PROVAS, a não ser que a TVI seja o Supremo tribunal. Mesmo que decidam contra o 1º Ministro, pensem por vocês mesmos e incentivem a vossa família a fazer o mesmo, os amigos, é o nosso futuro que está em jogo e pouco afectará aos protagonistas desta guerra, pois todos eles têm por certo bons recursos financeiros.
    Não posso deixar de recordar uma época em que vivi:
    Era uma vez um país que tinha problemas, não eram sufocantes e talvez se conseguissem resolver. Entretanto, nesse país alguém começou a espalhar, nos órgãos de comunicação social, que os problemas do país eram miseráveis, que todos mereciamos muito mais,que o Governo era incompetenteDepois vieram os críticos, que começaram as ofensas, as sátiras, etc. Então esse governo demitiu-se e após isso os “críticos” entram em cena para o lugar do Governo. Apressaram-se a dizer que o País estava de tanga, que esperava-nos sacríficios, o país caiu ainda mais e de repente, essas pessoas fugiram, perdão, aceitaram um cargo melhor remunerado e entregaram o país a outro grupo de amigos, que acabaram por deixar afundar ainda mais e por enormes peripércias.
    Esse país é Portugal e os culpados, os críticos, os órgãos de comunicação social, os governos postos e depostos, esses continuam aqui, activos. Zé povinho, acorde!!!

    • 25 de Abril de 2009 às 00:53

      Muito obrigado pelo comentário!

      De facto tenho que o elogiar, tanto pelo rigor, como pela objectividade, mas também pelos temas em que tocou! Brilhante!

      Todos esses temas em que tocou demonstram que é uma pessoa com uma certa idade e com a experiência requerida para falar destes temas de pressões e perseguições. Por isso eu gosto e prefiro os fóruns da rádio, aqueles que só pessoas com um certo nível de cultura ouvem e nos quais gostam de participar. Aí se dizem muitas verdades que, infelizmente caem em saco roto.

      Uma vez mais, redobro os agradecimentos pelo comentário e convido-o a aparecer mais vezes neste local de forma a enriquecer os temas tratados!

      PS: Já agora, para aqueles senhores que me acusavam de fazer campanha política pelo PSD quando, há uns tempos, vim aqui defender a posição do Presidente da República em relação ao Estatuto da Região Autónoma dos Açores – gostava que tivessem a lata de o fazer agora que vim defender a posição do Primeiro Ministro em relação à TVI.

      Decidam-se – afinal por quem é que ando a fazer campanha política? Daqui a uns dias venho aqui apoiar a posição do Bloco de Esquerda em relação à quebra do sigilo bancário, e o que dirão? Que também ando a fazer campanha política?

      É por isso que eu vos adoro! Este blog não era nada sem vocês!

  4. 26 de Abril de 2009 às 14:49

    Depois de ter publicado um pequeno texto sobre este assunto, descobri no seu blogue o artigo (anterior ao meu) e comentários sobre a mesma matéria. Jornalismo de investigação? Não me façam rir.

  5. 8 Nuno Sá
    28 de Abril de 2009 às 15:18

    Ando com a curiosidade em saber o significado de “travestido”. Ainda este fim de semana peguei no magalhães do meu filho e procurei travestido e ? não consta essa palavra ! Quanto mais vivo menos entendo. Comemorou-se á dias o fim da ditadura, não entendo novamente, mas sempre me disseram que o modelo de governação de maioria absoluta, não era mais do que uma ditadura democratica. Outra coisa que não entendo é com tanta obra na assembleia da Republica, e após ter visto o nosso PM numa conferência internacional em que todos os intervenientes estavam com um computador magalhães à frente, o porquê de não ter equipado a assembleia com estes computadores. Provavelmente pela sua capacidade de memoria, responderiam-me.
    E de novo, em relação ao “Jornal Nacional 6ª feira”, não se chama telejornal senhor PM, depois a Liberdade que o senhor festejou a dia 25 de Abril é isto mesmo !

  6. 9
    14 de Maio de 2009 às 20:52

    a manuela tem uma boca bem boa…

  7. 10 F, Reis
    22 de Maio de 2009 às 22:39

    Gostaria de comentar.
    o pessimo jornalismo feito pela desbocada Manuela Moura Guedes.
    Que de jornalista não tem nada.
    Passa o telejornal a fazer perguntas e a dar as respostas.
    Como espectador, que até gostava do jornal da tvi e que por ser a dona Manuela a apresenta-lo já não estou para aturala, revolta-me a sua arrogançia, até má educação.
    Fazer jornalismo não é o que fáz esta senhora.
    Devia ficar em casa a fazer o almoço ao Sre Moniz e deixe a televisão para profissionais .

  8. 11 EduardoC
    23 de Maio de 2009 às 06:07

    “Veja as coisas deste modo: A política, acima de tudo, é a arte da obtenção e manutenção do poder. Para o efeito tudo vale.”(escreveu). Então e ao Jornalismo, para o efeito, seja ele qual for, já não pode valer tudo? Não, não pense que de algum modo concordo com aquela espécie de informação! Mas também não concordo minimamente com aquela postura de bastonário, tal como não concordo com outras aqui citadas.
    Resumidamente e para não lhe ocupar muito espaço e por economia de tempo dir-lhe-ei apenas que está bem assim. Estão mesmo muito bem, todos, uns para os outros. Assim é que é “Porreiro pá!”

    • 23 de Maio de 2009 às 12:28

      EduardoC obrigado pelo seu comentário.

      As coisas não estão bem. É um facto.

      Pergunta retórica: Estariam melhor com outro governo?

      Não precisa responder, como disse é uma pergunta retórica.

      Quanto à postura do bastonário tenho a dizer que é preciso estar por dentro para compreender. No fundo ele é um apaixonado pela justiça enquanto instituição e, como qualquer outro apaixonado, quando mexem, quando fazem troça, quando manipulam a sua paixão, é óbvio que a reacção não é bonita de se ver.

      Como disse, a nossa classe ou é a classe da verdade, ou então a classe das ratazadas, vagueando silenciosamente pelo esgoto da sociedade. Eu prefiro a primeira. Contudo, existe um problema: a verdade necessita de frontalidade.

      Quanto ao jornalismo tenho mais é que respeitar a sua opinião se acha que vale tudo, se considera que a política e o jornalismo têm o mesmo objecto. Claramente não têm. Mas se pensa que sim, tenho mais é que respeitar.

  9. 13 Ana Martins
    28 de Maio de 2009 às 14:54

    Por favor, não sejamos hipócritas !!!

    O Sr. José Sócrates nem se devia pronunciar, é uma vergonha tudo o que tem feito e que a pouco e pouco vamos sabendo: Projectos falsos, licencituras ao domingo, corrupção e o que haverá mais por aí…
    Crucificam a Manuela Moura Guedes? Porquê?
    Porque diz verdades? Porque não tem medo de pressões que o Sr. Sócrates gosta tanto de fazer?
    È por estas e por outras que estamos em crise… Enquanto houver intocáveis perante a justiça e que esta sirva apenas e só para os pobres que não têm dinheiro para pagar bons adevogados ou as chamadas luvas…
    Enfim, mostrem que são democratas e não disfarcem o fascismo de democracia… já estão a dar muito nas vistas…
    Sr. Sócrates, demita-se, tenha vergonha!!! Manuela Moura Guedes, tem a minha admiração, nunca mude…que venham mais Manuelas, era o que este País precisava.

    Ana Martins

    • 28 de Maio de 2009 às 15:24

      Ana Martins, só um reparo, é “advogados” que se escreve, não “adevogados”.

      Já agora, tem provas para demonstrar factual e objectivamente tudo o que escreveu ou vai-se limitar pelas insinuações como faz a sua tão admirada Manuela Moura Guedes?

  10. 15 Bruno Baleizão
    3 de Setembro de 2009 às 01:46

    Boa Noite a todos. Apesar das várias injustiças cometidas e que não considero justas, a verdade é que a Constituição Portuguesa tem prevista a presunção de inocência. Deste modo, não é lícito a acusação na praça pública sem anterior deliberação dos tribunais. Novamente repito: Estamos todos preocupados com o Freeport, a licenciatura ao domingo ou a grafia do PM. Qual é a sua opinião sobre o SNS? Ou sobre o TGV?

  11. 16 Maria**
    8 de Fevereiro de 2010 às 19:03

    palavrinha de honra que eu até estimo os jornalistas mas acho que alguns se passaram.

    –Ora pois claro , como é a gente se podia esquecer de prof Medina carreira?

    Nem nós o podemos esquecer , nem ele deixa; que o excelso professor não perde pitada e ele são só encómios para que as têvês amigas lhe dêem o almejado tempo de antena, para ele expôr o seu pensamento que antigamente era ecléctico mas que agora já nem por isso.

    http://apombalivre.blogspot.com/2010/02/palavrinha-de-honra-que-eu-ate-estimo.html


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Ubuntu 10.04

Ubuntu: For Desktops, Servers, Netbooks and in the cloud
Abril 2009
S T Q Q S S D
« Mar   Maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Petição contra o Novo Acordo Ortográfico

manifestodefesalinguapoug5

Plágio!

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Visitas

  • 427,004 visitantes

%d bloggers like this: